Principal Categorias Matérias Marcela Mendes: no ritmo da dança

Marcela Mendes: no ritmo da dança

4 minutos para ler
0
637
Marcela Mendes: no ritmo da dança

A arte sempre esteve presente na vida de Marcela Mendes. Ela começou no ballet aos três anos, mas aos 14, quando retornou com a família para Guarapuava, acabou se afastando dos palcos. Já casada, e com o filho pequeno, sentia a necessidade de ter uma identidade, de ter algo que fosse só dela. E foi durante um momento de oração, que ela teve inspiração para desenvolver um projeto de ballet com crianças carentes, no Lar Escola Retiro Feliz. “Quando cheguei no Lar Escola a Sandra Zanette disse que eles precisavam de alguém que fizesse a diferença. Senti que era uma responsabilidade muito grande”, recorda.

Com o tempo, as crianças tomaram gosto pelo ballet e foram convidadas para participar de uma mostra de danças. Através da ajuda de sua mãe e de membros do grupo Soroptimista, Marcela conseguiu os figurinos para a apresentação. O sucesso das crianças impulsionou a montagem de Cinderela. Mesmo com um orçamento apertado, Marcela organizou uma rifa, emprestou o cenário e conseguiu realizar o espetáculo. Em 2005, ela ingressou no curso de Arte e Educação e no ano seguinte decidiu levar até a Secretaria Municipal de Educação o projeto do ballet. A aceitação foi grande e a Prefeitura precisou contratar mais professoras. Em 2007, Marcela montou o espetáculo A Pequena Vendedora de Fósforos, envolvendo todos os alunos que faziam ballet por meio dos núcleos culturais, o que também possibilitou que representantes do Ballet Boshoi selecionassem algumas crianças para participar das audições para entrar na escola do conceituado ballet, em Santa Catarina.

Durante um período, Marcela precisou se afastar do projeto nas escolas municipais e junto com o atual marido, Samuel, começou a ensaiar coreografias para eventos como casamentos e festas de 15 anos. No ano passado, ela retornou ao projeto e acompanhada de Samuel pode levar a dança até as crianças deficientes auditivas que estudam na Escola Municipal São José.

Em Janeiro, Marcela e Samuel inauguraram o Stúdio de Dança La Bayadère, onde oferecem aulas ballet, dança de salão e jazz. Para Marcela, trabalhar com dança faz bem tanto para ela como para seus os alunos. “A dança nos faz muito bem, ela realmente é capaz de transformar a vida das pessoas”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Coisas para fazer em Guarapuava

Fevereiro mal começou e ao contrário de janeiro, está voando! Apesar da semana ter sido rá…