SUPERAÇÃO

10 minutos para ler
0
1,345
SUPERAÇÃO

Há 6 anos Harry Mayer esteve à beira da morte e hoje dá um exemplo de luta pela vida

Ao se levantar em 16 de abril de 2007 Harry Mayer pensou que aquele seria um dia como outro qualquer. O jovem jamais imaginou que em uma fração de segundos sua vida teria uma grande reviravolta. Era perto das 15 horas, Harry estava trabalhando em uma colheitadeira quando foi atingido por um fio de alta tensão. Uma corrente elétrica de 32 mil volts passou pelo corpo do rapaz. Ele foi socorrido por um dos funcionários da fazenda, que também trabalhava na colheita, e de imediato foi levado para o hospital por um tio e um amigo da família.

Horas mais tarde Harry recuperou a consciência, ainda sem ter a noção de que estivera muito perto da morte. Foram oito dias na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Santa Tereza, a base de medicamentos derivados de morfina, para suportar as terríveis dores que sentia por causa das lesões provenientes do choque. Depois de sair da UTI ele enfrentou dois longos meses de hospitalização, que se já eram custosos pela angústia de não poder estar em casa, pioravam com as dores e as cirurgias reparadoras, realizadas a cada dois ou três dias pelo Cirurgião Plástico Antonio Marcos Cabrera Garcia. “Enquanto estive no hospital sempre sentia dores, que só eram amenizadas pelos remédios”, diz.

Ao receber alta Harry contou com o apoio dos pais, Josef e Maria, para se adaptar a uma nova realidade: reaprender a andar. A descarga elétrica afetou o músculo posterior da coxa, o que fez com que ele perdesse força para realizar movimentos com a perna, impedindo-o de caminhar. Foram cinco meses de cadeira de rodas, até que ele tivesse força e equilíbrio suficientes para que pudesse arriscar os primeiros passos com o andador. Durante esse período, ele foi atendido de três a quatro vezes por semana pela fisioterapeuta Gisele Remlinger Fernandes. “A fisioterapia foi fundamental para a minha recuperação”, revela.

Após um ano e meio Harry conseguiu superar mais um obstáculo rumo à sua recuperação total: caminhar sem o uso do andador. No entanto, quando começou a dar os primeiros passos sozinho, percebeu que sua perna ainda estava muito fraca, já que o músculo posterior da coxa havia atrofiado. Apesar de toda dificuldade, ele não desanimou e começou a frequentar aulas em academias para que a musculatura pudesse se desenvolver. ”Eu estabeleci a saúde e a minha recuperação como a minha grande prioridade”, enfatiza.

Hoje, seis anos e meio depois do dia que mudou sua vida, Harry dá um exemplo de força de vontade e superação. Ele leva uma vida normal, embora ainda possua algumas limitações para fazer coisas que parecem corriqueiras como subir e descer escadas, correr e pular. Durante seis dias da semana ele realiza atividades físicas diferentes, que o ajudam em sua recuperação. “Interrompo tudo para ir à academia”, revela.

Academia Graice Barra

Três vezes por semana Harry tem aulas com o Personal Trainer e faixa preta de Jiu-Jitsu Diego Moraes, na academia Graice Barra. Para o caso de Harry, Diego intercala o treinamento funcional com as aulas de Boxe e Jiu-Jitsu. “Procuro trabalhar com exercícios que desenvolvam as valências do corpo como força, equilíbrio, agilidade, flexibilidade e coordenação motora, que é o que usamos em nossas atividades do dia a dia”, explica o Personal Trainer.

Harry está freqüentando as aulas na Graice Barra há cerca de três meses e Diego já tem visto melhoras na condição física do aluno. “O Harry é um cara muito determinado e já estamos começando a ver melhorias com o treinamento, principalmente na questão do equilíbrio”, afirma.

Performance Life

O Harry é totalmente para cima, se dá bem com todo mundo na academia, com ele não tem stress. Ele faz tudo o que passamos pra ele”, comenta o Personal Trainer Rui Alves Siqueira , coordenador da academia Performance Life. Harry realiza atividades no local há um ano, também durante três vezes por semana.

Rui conta que o trabalho realizado com Harry visa primeiramente a adaptação neural e depois o fortalecimento, que auxilia no aumento de volume muscular. “Ele perdeu grande parte do músculo posterior da coxa, o que compromete muito o equilíbrio”, ressalta Rui. O Personal Trainer destaca que a evolução de Harry durante o treinamento tem sido grande, principalmente em relação à mobilidade.

Escola de Natação Primeiro Estilo

Desde janeiro Harry está fazendo aulas de natação na Escola Primeiro Estilo. As atividades acontecem quatro vezes por semana. Os exercícios na água exigem que o aluno despenda mais força , auxiliando no desenvolvimento motor e no fortalecimento da musculatura.

O professor Diego Santi Marinelli, responsável pelo treinamento de Harry, conta que no início do ano, quando começaram as aulas, ele só conseguia andar dentro da piscina. Hoje, Harry nada os quatro estilos e atinge tempos bastante satisfatórios. “ O Harry realmente dá exemplo pela sua força de vontade, o que faz toda diferença. É claro que eu faço a minha parte, mas se não fosse a perseverança dele jamais teríamos os resultados que estamos conseguindo”, destaca o professor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Coisas para fazer em Guarapuava

Fevereiro mal começou e ao contrário de janeiro, está voando! Apesar da semana ter sido rá…