Principal Categorias Matérias Implantodontia: Um setor da odontologia em constante evolução

Implantodontia: Um setor da odontologia em constante evolução

10 minutos para ler
0
581
Implantodontia: Um setor da odontologia em constante evolução

A falta de dentes atinge um grande número de pessoas em todo Brasil. Além das questões referentea à saúde esse é um problema que afeta diretamente a auto-estima do paciente. O Dentista Tony Thimoteo, Especialista em Implantodontia/Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares e Credenciado ao Sistema Neoguide de Cirurgia Guiada para Colocação de Implantes acaba de concluir o Curso de habilitação em “Fatores de crescimento(BMP2) associados a células-tronco para ganho ósseo. Ele conversou com a Revista Visual sobre as evoluções no setor de Implantodontia.

Revista Visual: Quais são as causas mais comuns que levam a perda dos dentes? Como a falta de um ou mais dentes prejudica a saúde e o bem-estar do paciente?

Dr. Tony: As causas mais comuns de perdas dentárias são a cárie e as doenças periodontais (na gengiva e osso que envolvem o dente). A falta de um ou mais dentes vai muito além da dificuldade de mastigação, afeta a saúde e a auto-estima das pessoas, interferindo na imagem do paciente e podendo levá-lo à depressão. Por isso, a técnica da cirurgia guiada é tão promissora. O paciente, que por algum motivo perdeu um ou vários dentes, quer voltar a sorrir com satisfação, se alimentar com segurança. Qualquer pessoa deseja ter dentes saudáveis sem sofrimento e com apenas algumas consultas, de preferência num procedimento pouco invasivo. Por meio da cirurgia guiada por computador é possível melhorar ainda mais a qualidade estética e funcional dos implantes. Realizar isso num procedimento confortável e previsível é maravilhoso, e particularmente me proporciona uma grande satisfação profissional.

Revista Visual: Como funciona a cirurgia de instalação de implantes guiados virtualmente?

Dr. Tony: Hoje sinto que o sistema de cirurgia guiada chegou ao seu ápice e funciona perfeitamente, com poucas restrições. É confortável, praticamente indolor e sem cortes. O primeiro passo para isso é a consulta inicial e o planejamento reverso, onde é realizado um estudo através de modelos para previamente sabermos o tipo de dentes e localização deles na futura reabilitação. Essa modelagem serve para confecção de uma guia especial em resina acrílica, já com a posição ideal dos dentes que serão colocados futuramente. Em seguida, é feita uma tomografia computadorizada do paciente com a guia na boca. O terceiro passo do processo é o planejamento da instalação dos implantes virtualmente no computador por meio de um software, no tamanho e posição adequados. A próxima etapa é a produção de um guia de acrílico impresso por uma impressora 3D de alta resolução. Esse guia é confeccionado por meio de estereolitografia(confecção de um protótipo em resina a partir das 20 ‘‘ imagens computadorizadas dando o posicionamento ideal para os implantes). A última parte do processo é a prova do guia de resina na boca e instalação dos implantes e da prótese.

Revista Visual: Qual a principal diferença entre a cirurgia tradicional e a cirurgia guiada?

Dr. Tony: A grande diferença está no planejamento minucioso que é realizado antes da cirurgia. As imagens de tomografia computadorizada em três dimensões permitem que o cirurgião-dentista planeje os implantes de uma forma virtual, escolhendo a posição e inclinação mais adequadas, bem como a quantidade de implantes que irão ser usados, levando em consideração as restrições do paciente. Além de possibilitar ao paciente uma recuperação mais rápida que a convencional por realizar pequenas perfurações na gengiva, somente no local do implante, diferente da comum, onde é necessário um grande corte para a instalação dos implantes.

Revista Visual: Atualmente, a utilização de células-tronco tem representado uma grande evolução dentro do campo da odontologia. Como essas células podem ser usadas nos procedimento de implantes?

Dr. Tony: O estudo e a utilização de células-tronco na medicina geral já não é mais o futuro e sim uma realidade presente. No campo da implantodontia especificamente tem-se utilizado recentemente a BMP2, que já vem sendo utilizada há alguns anos pela ortopedia médica para reconstituições ósseas. Quando citamos a BMP2 estamos falando propriamente dito das proteínas osteoindutivas, que fazem com que as células do próprio paciente formem novo osso no local onde esse foi perdido. A BMP2 é uma proteína presente no tecido ósseo humano, fazendo parte da família das TGF-b, e são produzidas pelos osteoblastos, células responsáveis pela formação óssea em nosso organismo. Ela tem a finalidade de substituir qualquer enxerto ósseo evitando coletas de osso em outras regiões do próprio paciente ou a utilização de banco de osso para eventuais reparos ósseos.Em um futuro, que pode estar mais perto que imaginamos,os estudos das células-tronco pretendem gerar um dente natural aplicando-se uma substância na região da perda dentária. Na realidade, isso já foi conseguido em estudos com animais em laboratório, porém, o que se teve de resultado foi um dente amorfo, sem a forma dentária adequada. O grande desafio agora é gerar um dente com a forma ideal para cada região de nossa arcada dentária.

Revista Visual: Qual o conselho que o senhor dá para os pacientes que sofrem com a falta de um ou mais dentes?

Dr. Tony: A recomendação sempre é procurar um profissional capacitado que faça uma avaliação minuciosa do seu caso e aponte as alternativas de tratamento. Saber que, seguindo a lei de Lavoisier, na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma, eu penso que tudo nos foi colocado a disposição por Deus e cabe a nós transformar essa obra em benefício para o bem estar de todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Coisas para fazer em Guarapuava

Fevereiro mal começou e ao contrário de janeiro, está voando! Apesar da semana ter sido rá…