Principal Categorias Matérias Marlene Martins Leuch Dá exemplo de como transpor as “pedras” do caminho e chegar ao sucesso

Marlene Martins Leuch Dá exemplo de como transpor as “pedras” do caminho e chegar ao sucesso

8 minutos para ler
0
792
Marlene Martins Leuch Dá exemplo de como transpor as "pedras" do caminho e chegar ao sucesso

O espiríto empreendedor de Marlene Martins Leuch surgiu na infância, quando ela percorria as ruas de onde morava vendendo macinhos de tempero, itens de armarinhos, produtos de catálogo, entre outros. Formada em Administração, ainda muito jovem ela se destacou no setor de vendas de uma marmoraria em Ponta Grossa. Percebendo a capacidade da então funcionária, o proprietário da empresa Marcos Betinardi a convidou para investir em uma filial em Guarapuava. Enquanto o sócio entrava com os investimentos iniciais, o desafio de Marlene era trabalhar duro para que o empreendimento prosperasse.

“Juntei minhas coisas e sem vacilar, mudei com minha família para Guarapuava”, relembra. Quando a Marmoraria São Thomé abriu na cidade, Marlene percebeu que haviam concorrentes fortes no mercado, por isso, as alternativas usadas para fortalecer o nome da nova empresa foram o investimento em divulgação, as parcerias e a qualidade dos produtos comercializados. “No início o plano era ser apenas um depósito de pedras, mas algum tempo depois comecei a comprar os produtos semiprontos. Tínhamos apenas um funcionário e fazíamos os acabamentos das pedras na varanda do nosso escritório”, conta.

Para que o negócio engrenasse, Marlene foi atrás de conhecimento sobre as áreas de gerenciamento e produção, já que sua experiência se restringia ao setor de vendas. No começo, o crescimento da empresa a assustou, mas aos poucos ela aprendeu qual o ritmo em que a Marmoraria deveria funcionar. “Nunca me esqueço do dia que chegou o primeiro boleto de cartório, quase morri chorando, achei que era o fim. Com o aumento do giro fui me acostumando e percebi que tudo dava certo se eu levasse de forma organizada”, comenta.

Outra dificuldade enfrentada por Marlene foi encontrar mão de obra especializada na área. Para solucionar o problema, ela resolveu ensinar e dar treinamento aos contratados dentro da própria empresa.”Nunca me deixei levar pelo fato de ser mulher em um segmento em que há predomínio de clientes e funcionários homens. Para conquistar respeito sempre coloquei a mão na massa para ensinar, assim as pessoas percebiam que eu entendia do que estava falando, que eu tinha conhecimento”, revela.

Aliás, o relacionamento com seus colaboradores é apontando por Marlene como um dos fatores fundamentais para o sucesso da Marmoraria São Thomé. Hoje, 21 pessoas compõe o quadro de funcionários da empresa. “Não me vejo superior àqueles que trabalham comigo, apenas tenho mais responsabilidades”, diz. A postura direta e sincera que a administradora adotou à frente da empresa permite que ela mantenha um diálogo constante com a equipe. “Os funcionários têm uma grande participação na empresa, tudo que faço tem a opinião deles”, explica Marlene.

Em nove anos a Marmoraria São Thomé se tronou a maior de Guarapuava. O empreendimento, que iniciou suas atividades em uma pequena casa, atualmente tem 1500 m² de área coberta, com a previsão de novas ampliações. Para garantir a qualidade dos serviços oferecidos aos clientes, Marlene investe com frequência em tecnologia. Recentemente, ela adquiriu uma máquina de polimento à água, exclusividade na região. Essa máquina reduz a quantidade de pó gerado na produção dos mármores e granitos, proporcionando economia para a empresa e mais qualidade de vida aos funcionários. A Marmoraria também é a única a oferecer pedras decorativas aos clientes, fazendo com que eles não precisem buscar esse tipo de produto em outros lugares e atraindo uma clientela de fora.

A organização e competência com que Marlene administra os setores financeiro e de produção da Marmoraria São Thomé fizeram com que ela fosse reconhecida pela sociedade guarapuavana, sendo homenageada em 2014 com o Prêmio Divas (realizado pelo Conselho da Mulher Executiva da Acig e pelo Jornal Diário de Guarapuava) na categoria Indústria. Em 2013, ela havia ficado entre as cinco finalistas do Prêmio Mulher de Negócios, oferecido pelo Sebrae, na categoria pequenos negócios. Para ela, mais do que o esforço, a fé é fundamental para chegar ao sucesso. ” Estou em uma fase de realização de sonhos. Dedico meu sucesso a Deus, aos meus clientes e funcionários. Para aqueles que estão iniciando a carreira empreendedora digo que a fé em Deus é a base de tudo, pois muitas vezes quando não somos capazes de fazer por nossas próprias forças. Deus é que nos da força para seguir em frente. Em segundo lugar, é preciso acreditar nas próprias capacidades e nunca desistir”, aconselha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Coisas para fazer em Guarapuava

Fevereiro mal começou e ao contrário de janeiro, está voando! Apesar da semana ter sido rá…