Principal Categorias Arte & Cultura Alex Ferrera: música e nada mais

Alex Ferrera: música e nada mais

6 minutos para ler
0
599

Por RVisual | Foto: Divulgação

Com uma voz agradável, letras profundas e mais de dez anos de trajetória musical, Alex Ferrera está cada dia firmando mais a sua carreira como cantor. Recentemente, lançou um EP com seis faixas, dentre elas, a canção de trabalho “Nada Mais”, que é também o nome do álbum. Além desse CD, um DVD com as faixas e alguns covers foram gravados. Alex já é conhecido na região, mas pretende ampliar o seu sucesso para o restante do país, por isso investe na divulgação nas redes sociais.

Desde pequeno ele se interessava por música e já arriscava algumas composições num teclado que a sua mãe lhe deu. Duas décadas depois, ele tem certeza de que cantar e se apresentar para o público é sua paixão. “Eu tentava escrever algo, sempre resultava em coisas legais”, conta. Entre as músicas do recente álbum estão letras compostas em 2001, que hoje são cantadas pelos guarapuavanos, fato que ele não esperava acontecer tão cedo.

Antes da carreira solo, Alex passou por duas bandas. “Eu comecei na música com 16 anos, na minha primeira banda. Em 2016, fiz meu primeiro trabalho solo, que gerou esse CD acústico que hoje está no mercado”. Afirma o cantor.

Dentre as faixas estão “Incendiar a Noite”, “Mais Amor”, “Nada Mais”, “Queria Nada”, “Psique” e “Umbigo Tatuado”. O videoclipe da faixa “Pra Sempre” ficou disponível no site Music Box Brasil, que é um canal de clipes brasileiros, ela foi seu primeiro single antes da gravação do Nada Mais. O EP de Alex foi gravado no munícipio, seguindo o processo de gravação: violão e voz, arranjo e produção final. “Eu tinha escolhido cinco músicas e faltava uma, eu sempre procurava algo que se encaixasse com o propósito do CD. Fiz a ‘Nada Mais’, ela possui clipe, foi tema no Colégio Nossa Senhora de Belém. Lá, todas as crianças aprenderam a letra e cantaram. Foi muito gratificante, fiquei emocionado”, recorda.

O processo de composição é considerado pelo músico como “aleatório”, ele apenas observa o decorrer do dia atento a tudo, anota no celular algumas ideias e começa a desenvolver um texto para colocar harmonia e voz. O smartphone é utilizado também para uma gravação prévia, quando o cantor verifica se realmente está gostando do que está construindo. Num último momento, as notas são colocadas e a música ganha vida.

Entre as influências que o fizeram escolher seu estilo musical estão Elvis Presley, The Beatles, John Mayer, Tiago Iorc entre outros artistas. “Eu acompanho o Tiago Iorc mesmo antes de ser muito conhecido. Mas eu digo que no geral gosto de boa música”, explica.

Alex não tem dúvidas quando a questão é o tipo de som que trabalha. “Sempre que me perguntam ‘que tipo eu canto’ eu respondo que é um pop rock folk. É assim que eu consigo definir”, afirma.

O artista já participou de inúmeros festivais e lembra com carinho de cada um. Mas uma recordação especial é a da primeira vez que sua música tocou na rádio. Outro momento que guarda no coração é do dia que cantou com Ivo Rodriguez (in memorian), da banda Blindagem.

“Participei da abertura do show da Cachorro Grande, é algo legal de lembrar. São vários momentos ao longo desses anos. Aqui em Guarapuava já fiz várias coisas. Eu nunca esperei todo esse retorno que estou recebendo. Estou muito feliz”.

Facebook | Instagram | Youtube | Spotify

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

‘Contos do Mar’ é o espetáculo do Circuito Cultural do Sesi em Guarapuava

Por RVisual com Assessoria | Foto: Divulgação Durante o mês de outubro, o Circuito Cultura…