Principal Categorias Cotidiano Desmistificando a hipnose

Desmistificando a hipnose

5 minutos para ler
0
874
Desmistificando a hipnose

Vista por muita gente com desconfiança, a hipnose pode trazer vários benefícios à vida das pessoas. Consultor empresarial há mais de 15 anos com dois livros publicados na área e palestrante com formação em Coaching, o professor Paulo Sérgio Buhrer acaba de concluir o curso de Hipnose Clínica e Terapêutica pela Elleven Treinamentos, em São Paulo. “No trabalho com gestão de pessoas percebi que muitas delas têm dificuldade em quebrar velhos hábitos e promover mudanças necessárias para o seu crescimento. Procurei essa formação como hipnólogo porque se trata de uma técnica capaz de potencializar resultados”, afirma.

Paulo Sérgio esclarece que diferente da hipnose que é apresentada em shows, a técnica utilizada de maneira terapêutica pode ser aplicada em várias situações como em tratamentos para largar o cigarro e o álcool, eliminação de peso e diminuição do estresse e da ansiedade. A hipnose também é recomendada para diminuir e aliviar dores de todo gênero, e se torna uma ferramenta útil nos processos pré, trans e pós-operatórios, auxiliando na recuperação do paciente, inclusive em casos oncológicos. A técnica ainda pode ajudar pessoas que sofrem com o TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e com a gagueira. “O tratamento realizado por um hipnólogo não substitui medicamentos ou outras intervenções às quais a pessoa está sendo submetida. O objetivo da hipnose é contribuir para o sucesso desses procedimentos”, destaca.

Segundo Paulo Sérgio, a eficácia da hipnose está relacionada com o fato da técnica chegar ao inconsciente, região da mente humana que responde de maneira efetiva aos comandos para os quais é programada. “Além de ser um processo de sintonia entre paciente e hipnólogo, o sucesso do tratamento depende muito do comportamento que o paciente irá ter após as sessões”, explica. O passo a passo da hipnose:

1) BS– Bom senso na hora de executar a técnica.

2) Rapport – Criar uma sintonia entre paciente e hipnólogo.

3) Indução – Fase onde começa o relaxamento topográfico aos poucos, de toda a estrutura muscular. Nessa fase também começa a baixar as ondas cerebrais.

4) Aprofundamento – Acontece uma diminuição ainda maior das ondas cerebrais, até a um ponto imaginário onde o paciente está pronto para entrar no processo terapêutico.

5) Processo Terapêutico – É quando se tem o acesso ao inconsciente e se consegue dar o comando para corrigir o que se acredita ser o problema.

6) Término e Reorientação – O hipnólogo tira o paciente do transe e o traz para o momento real com todo o aprendizado que adquiriu durante o processo terapêutico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Coisas para fazer em Guarapuava

Fevereiro mal começou e ao contrário de janeiro, está voando! Apesar da semana ter sido rá…