Principal Categorias Matérias Rosácea: Conheça as principais causas e as possibilidades de tratamento

Rosácea: Conheça as principais causas e as possibilidades de tratamento

7 minutos para ler
0
2,148
Rosácea: Conheça as principais causas e as possibilidades de tratamento

A rosácea é uma doença de pele comum, principalmente em locais de clima frio ou com mudanças bruscas de temperatura.
Seus sintomas são áreas de eritema (vermelhidão) na pele, sensação de ardor e queimação e lesões inflamadas, especialmente nas bochechas, nariz, testa e queixo.
Geralmente, se inicia na faixa etária dos 30 aos 50 anos e afeta mais mulheres do que homens, sendo mais comum em pessoas de pele clara. No início, o rubor ou vermelhidão pode ser transitório, mas depois fica persistente e, se não for tratada, a rosácea pode piorar ao longo do tempo, levando a mudanças permanentes na aparência, com vasinhos dilatados, pápulas, pústulas e até mesmo nódulos.
Não há cura conhecida para a rosácea, mas ela é tratável por profissionais especialistas, e registra excelente controle.

Tipos
Existem cinco graus da rosácea, que variam conforme ela se manifesta e de acordo com sua gravidade:
* Eritemato vascular: vasinhos, pele avermelhada e rubor;
* Rosácea pápula pustulosa: lesões parecidas com acne inflamada;
* Rosácea fimatosa: estágio final da doença, a pele se torna espessada, endurecida e avermelhada. É comum no nariz e queixo em homens idosos;
* Rosácea ocular;
* Granulomatosa: pequenos nódulos acastanhados na face.

Causas
A causa da rosácea é desconhecida, ocorrendo por uma combinação de fatores hereditários e ambientais. Alguns destes fatores incluem:
* Alimentos ou bebidas quentes (exemplo: chimarrão);
* Alimentos picantes e/ou apimentados;
* Álcool;
* Cafeína;
* Temperaturas extremas (mudanças bruscas de temperatura)
* Exposição ao sol;
* Estresse, raiva ou vergonha;
* Exercícios extenuantes;
* Banhos quentes, saunas, ambiente quente e abafado;
* Uso de corticosteróides, anticoncepcionais, ácido retinóico e sabonetes abrasivos;
* Uso de medicamentos que dilatam os vasos sanguíneos, incluindo alguns medicamentos para pressão arterial.

Grupos de risco
Os seguintes grupos estão em maior risco de desenvolver rosácea:
* Pessoas entre 30 e 50 anos de idade;
* Pessoas de pele clara, com cabelos loiros e olhos azuis;
* Descendentes de celtas ou escandinavos;
* História familiar de rosácea;
* Histórico de acne grave no passado;
* Mulheres (no entanto, os homens também podem desenvolver rosácea e tendem a ter sintomas mais graves);
Vale lembrar que na presença destes sintomas, é importante que se procure um médico dermatologista, pois a rosácea é uma doença que pode ser confundida facilmente com acne simples, dermatites alérgicas e até mesmo com lúpus cutâneo.

Tratamento
A rosácea não tem cura. No entanto, com o tratamento adequado, a maioria das pessoas consegue controlar os sintomas e evitar que a doença se agrave.
O tratamento mais comum é feito com antibióticos e anti-inflamatórios tópicos, para diminuir a inflamação da pele. Deve-se evitar o uso de corticosteroides, pois aliviam momentaneamente os sintomas, mas agravam a formação de vasinhos na pele.
Casos mais graves devem ser tratados com antibióticos orais e até isotretinoina, sempre com supervisão médica dermatológica. Em todas essas situações, pode haver associação dos medicamentos com laser ou luz intensa pulsada.
O uso dos filtros solares é sempre indicado, assim como deve-se evitar bebidas muito quentes, álcool e cafeína. O laser específico para vasos ou a luz pulsada atingem os vasos, diminuem a vermelhidão e clareiam a pele. Nos graus mais graves de rosácea, com deformidades na face, pode ser necessário fazer dermoabrasão, cirurgia e até o laser de CO2 pode ser utilizado nas áreas com espessamento da pele.

Por:
Dra. Beatriz Gomes Bianco Cabrera Garcia (CRM 19430/RQE 11942)
Dra. Caroline Barbosa Batista (CRM 33035/RQE 17978)
Dr. Guilherme Augusto Gadens (CRM 22842/RQE 16136)
Dra. Iara Rodrigues Vieira (CRM 7262/RQE 597)
Dra. Renata Franco Carrara Tavares (CRM 19692/RQE 13155)

Foto: Ilustrativa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Coisas para fazer em Guarapuava

Fevereiro mal começou e ao contrário de janeiro, está voando! Apesar da semana ter sido rá…